Poder ofensivo do Cruzeiro não ocorria na Libertadores desde 2001

15.4.11 | Marcadores:
Share |
Classificado para as oitavas de final com a melhor campanha da Copa Libertadores, o Cruzeiro contabiliza 20 gols marcados em seis rodadas. O poderio ofensivo demonstrado pela equipe comandada por Cuca não era alcançado há 11 anos.

Desde a edição de 2001, a equipe com ataque mais positivo da fase de grupos da Libertadores não atingia duas dezenas de gols. O último time a alcançar essa meta foi o América de Cali na edição de 2000. Após a equipe colombiana, os melhores ataques pararam nos 18 gols marcados, com Santos em 2005, e Vélez Sarsfield, em 2006.

Para atingir 20 gols marcados em seis partidas, o time celeste contou, principalmente, com sua força ofensiva enquanto jogou em casa. Nos três jogos como mandante, o Cruzeiro marcou 15 gols (média de três por partida) e proporcionou goleadas aos torcedores que foram à Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Na estreia, a equipe comandada por Cuca reencontrou o Estudiantes após a derrota na final de 2009 e venceu o time argentino por 5 a 0. Na sequência, o Cruzeiro aplicou 4 a 0 sobre o Guaraní do Paraguai e 6 a 1 sobre o Deportes Tolima.

Enquanto atuou fora de casa, a eficiência ofensiva teve pequena de rendimento. Em Ibagué, o ataque cruzeirense não conseguiu marcar pela primeira vez na competição e a equipe empatou sem gols com o Deportes Tolima. Em Assunção, a vitória sobre o Guaraní aconteceu pelo placar de 2 a 0. Já em La Plata, o time comandado por Cuca bateu o Estudiantes por 3 a 0.

Os principais responsáveis pelo alto poderio do ataque cruzeirense são os atacantes Wallyson e Thiago Ribeiro. Artilheiro da última edição da Copa Libertadores, o camisa 11 contabiliza quatro gols em 2011. Wallyson, por sua vez, é o principal goleador do time celeste, com seis gols marcados.

Ainda balançaram as redes adversárias outros cinco jogadores cruzeirenses. Responsáveis pelas armações de jogadas, Montillo e Roger ajudaram a equipe com três gols cada um, enquanto os atacantes Ortigoza e Farías e o lateral-esquerdo Gilberto deixaram suas marcas uma vez.

Defesa

Além dos números positivos do ataque, o Cruzeiro encerrou sua participação na fase de grupos da Copa Libertadores com bom rendimento defensivo. Nas seis rodadas, o goleiro Fábio foi vazado apenas uma vez, na goleada por 6 a 1 sobre o Deportes Tolima, em Sete Lagoas.

Nas últimas dez edições da Copa Libertadores, quatro equipes encerraram a fase de grupos com apenas um gol sofrido. A última delas foi o Grêmio, em 2009. Anteriormente, atingiram o mesmo feito: Santos, em 2007, Goiás, em 2006, e Alianza Lima, em 2002.

Um comentário sobre “Poder ofensivo do Cruzeiro não ocorria na Libertadores desde 2001”

thiago disse...

o Cruzeiro marcou 15 gols (média de três por partida)

o certo seria media de 5 gols por partida.
gols/partida = media
15/3 = 5

Faça seu comentário

BLOG DE ESPORTES COM ATUALIZAÇÕES DIÁRIAS, ABERTO A QUALQUER TIPO DE COMENTÁRIO SOBRE O ESPORTE NACIONAL E INTERNACIONAL, COMENTE SEM POUPAR PALAVRAS. AGRADECE O BLOG DO TORCEDOR.

 
© 2011 BLOG DO TORCEDOR. Todos os direitos reservados
Layout por Códigos Blog - Design Paulo Estevão