Fiquei com medo de ter a carreira encerrada", diz volante da Ponte

13.3.13 | Marcadores:
Share |
A tristeza de Ferrugem por conta da operação e dos longos seis meses que terá de ficar longe dos gramados foi amenizada nesta terça-feira com as visitas do técnico Guto Ferreira e dos companheiros de elenco da Ponte Preta, Cicinho e Cléber. Antes disso, porém, o volante, que teve alta na manhã desta quarta, conta que chegou a temer pelo pior.

“Na hora pensei muita coisa, até fiquei com medo de ter a carreira encerrada. Mas fui muito bem atendido, graças a Deus a cirurgia deu tudo certo. O pior já passou e agora temos que pensar no tratamento”, disse o volante, que promete esforço dobrado para tentar antecipar o retorno aos gramados.

“Não adianta eu querer voltar em três meses porque a previsão dos médicos é de seis. Mas vou me empenhar bastante na fisioterapia e até mesmo em casa para acelerar esse processo. Os profissionais aqui da Ponte são competentes e sei que estou em boas mãos”, acrescentou.

Antes cabisbaixo, o agora confiante Ferrugem quer deixar para trás o que aconteceu e se concentrar apenas no futuro. Para isso, sabe que terá pela frente bastante apoio da família, dos colegas de elenco e dos próprios torcedores, que não deixaram de apoiá-lo desde o lance ocorrido no domingo.

“É bom saber que eles estão comigo independente do que acontecer. O grupo da Ponte Preta é um grupo de amizade, todo mundo unido. Agradeço todos os colegas de elenco que vieram e estão vindo aqui porque isso é uma motivação a mais para continuar na recuperação. Neste momento todas as palavras de apoio são bem vindas e ajudam”, disse o atleta.

“Agradeço a torcida que me apoiou a todo momento, nas redes sociais e lá no estádio. Quando eu sai na maca conseguia escutar eles gritando meu nome e isso é outra coisa que motiva ainda mais. A torcida da Ponte é maravilhosa e está dando força para eu voltar logo. Podem ter certeza que eu também vou me esforçar ao máximo para voltar rápido”, completou.

Ferrugem ainda analisou o carrinho por trás dado por Danielzinho e, assim como todos da Ponte Preta, pediu punição ao atleta.

“Quando o carrinho é de frente ou de lado tem como o jogador se defender, mas por trás não tem como. Eu nem vi ele no momento do carrinho, só me vi no chão com a perna quebrada. Acho que a partir do momento em que o lance é proibido, deve haver punição, mas isso quem tem que ver é o tribunal: meu objetivo agora é a recuperação, não cabe a mim opinar sobre o que as autoridades vão fazer e quem perdoa é Deus. Estou 100% focado na recuperação e vou fazer tudo direitinho para voltar”, completou.

3 Comentários sobre “Fiquei com medo de ter a carreira encerrada", diz volante da Ponte”

Anônimo disse...

Ahaa, іts nice discuѕsion on the toρіc of thіѕ ρiece of writing at this plаcе at
thiѕ blοg, I have rеad all that, sо аt this time me alѕо cοmmenting аt this place.


Alѕο νіsit my web blog web application development company new york

Fábio Sanches disse...

Olá Célio, estou linkando o seu blog no meu, passe por lá e nos visite, segue o link:

sanchespolemicas.blogspot.com.br

Abraços...

Miguel Moure disse...

Boa tarde, sou do site www.acheseutime.com.br e gostaria de realizar uma troca de links.
Obrigado
Miguel Moure
miguelrmoure@gmail.com

Faça seu comentário

BLOG DE ESPORTES COM ATUALIZAÇÕES DIÁRIAS, ABERTO A QUALQUER TIPO DE COMENTÁRIO SOBRE O ESPORTE NACIONAL E INTERNACIONAL, COMENTE SEM POUPAR PALAVRAS. AGRADECE O BLOG DO TORCEDOR.

 
© 2011 BLOG DO TORCEDOR. Todos os direitos reservados
Layout por Códigos Blog - Design Paulo Estevão